Leitura sempre!

A leitura é importantíssima e tem de ser uma prática constante. Se alguém quer ser um publicitário, essa pessoa precisa ter um repertorio de livros lidos e, se possível, memorizados. Precisa ter autores dos quais mais gosta, aqueles aos quais recorre frequentemente.
São alguns dos livros fundamentais da língua portuguesa, como O Primo Basílio, de Eça de Queiroz; Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. É recomendado todos os livros de Machado de Assis, pois o domínio da língua portuguesa em Machado é algo que todo mundo deve absorver.
É ainda fundamental ler Macunaíma, de Mário de Andrade, exatamente para ver como se pode criar, com palavras, ambientes e condições que refletem o caráter de um povo inteiro.
Vale acrescentar a essa lista de livros obrigatórios: Sagarana, de João Guimarães Rosa; Brás, Bexiga e Barra Funda, de Alcântara Machado, e Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, para aprender como se escreve para teatro. Essa é um leitura especialmente importante porque todo comercial é uma microscópica peça de teatro. E tudo de Hemingway e Faulkner, e ainda Proust, Joyce e Kafra, os três que revolucionaram a literatura no século XIX.
Para quem escreve Elements of Style, de William Strunk Jr., e EB White, porque ele ensina como fugir do lugar-comum, das soluções óbvias. Esses livros são a base de tudo. A partir deles, todos os outros foram escritos. A gente aprende a escrever lendo.

Livro

Se você não esta tão certo ainda do curso que vai realizar, é importante no primeiro momento fazer cursos de aperfeiçoamento, siga um talento que você tenha ou acha que pode ser desenvolvido e se dedique a ele. Pode ser que não seja aquilo que vai exatamente se especializar, mas pode ajudar na escolha da sua profissão.
Para um bom profissional de publicidade é muito importante ter uma boa redação. Leia vários livros, revistas, jornais, esteja sempre atento nos acontecimentos da atualidade, pois você vai precisar disso nas suas criações. Fique por dentro dos fatos até mesmo para poder dialogar e trocar ideias com outras pessoas. É essencial que um profissional de comunicação saiba se comunicar com outras pessoas e nada melhor do que boas leituras para poder aplicar isso.
Ao aceitar fazer uma campanha publicitária devemos acreditar naquilo que estamos fazendo, ou seja, que o produto funciona e devemos trabalhar com muito empenho e principalmente amor, fazer por prazer e não por obrigação. Nem sempre é fácil ter boas ideias imediatamente no tempo em que o seu cliente quer que o trabalho esteja pronto, mas se as poucas ideias que surgirem você acreditar nelas e tentar melhorá-las pensando o tão felizes as pessoas que vão adquirir os produtos ficaram, seu trabalho ira ter um rendimento melhor e assim você vai conseguir realizá-lo tranquilamente, pois com pressão as coisas não funcionam bem e aquilo que poderia ser maravilhoso pode acabar numa tragédia.
Você deve saber lidar com todos os tipos de pessoas, nem sempre elas vão estar de bom humor ou ser seria é o seu perfil. No vasto mercado que temos hoje, com tanta concorrência não é fácil conquistar novos clientes, mas a medida em que você vai conquistando eles, deve ter todo o cuidado para não deixá-los escapar. Saber de seus interesses e o que eles estão procurando para cada vez mais fazer com que eles fiquem apaixonados por aquilo que lhe é oferecido e se tornar um cliente fiel a sua agência. Afinal o cliente vai te escolher por aquilo que você já tem mostrado.
É de extrema importância o estágio na vida de um estudante de publicidade, pois é nele que vai adquirir experiências no que na faculdade é apenas dito, é onde vai se encontrar no que realmente quer trabalhar. O estágio mostra a realidade e as dificuldades de uma agência e é no mesmo que o estudante vai encontrar o caminho de deseja seguir. O que não pode acontecer é se acomodar no estágio e achar que tudo são flores, tem que mostrar interesse e dedicação em querer aprender e ajudar a empresa no crescimento.
Antes de começar a fazer qualquer tipo de anúncio para o seu cliente, você deve pesquisar muitas coisas, o público que quer atingir, a região que vai ser comercializado, se o clima é favorável, enfim, você tem que reunir o maior número de informações possíveis para garantir um bom sucesso de sua campanha. Para alguém que quer se tornar um bom profissional na publicidade, junte o máximo de ideias e informações sempre, não importa onde você estiver. Fazer desenhos, mesmo que sejam rabiscos que você entenda, anotar frases que acha interessante que alguém disse ou que você leu. Isso tudo ajuda na hora de ter inspiração para produzir uma boa campanha.

Transformando tediosas rotinas

Por Valdemir José Francisco

Um dos inimigos psicossomáticos mais ferrenhos do trabalhador moderno é o tédio. Muitas podem ser as causas do tédio no trabalho, desde a incompatibilidade das habilidades com as exigências requeridas até as famosas padronizações de atividades. Independente de suas causas o perigo instala-se quando as rotinas diárias tornam-se tediosas e enfadonhas, levando o trabalhador a sentir-se inútil, desmotivado, deixando assim, de explorar e expandir suas potencialidades.

O tédio tem gerado inúmeros prejuízos aos trabalhadores e às organizações em geral. Ele gera fadiga, preocupações, ressentimentos, desinteresses, comodismos, irritabilidade, dores de cabeça, baixa produtividade, redução no grau de comprometimento, atitudes anti-social, conflitos hierárquicos e assim por diante. Pesquisadores que estudam o tédio o chamam de “uma das principais doenças da nossa era”.

O Dr. Joseph E. Barmack publicou nos Archives of Psycology, um relatório sobre algumas das suas experiências, submetendo um grupo de estudantes a uma série de testes em atividades que não lhes podia despertar o interesse. Os estudantes foram submetidos a testes de metabolismo. Estes testes, por sua vez, revelaram que a pressão do sangue e o consumo de oxigênio diminuem verdadeiramente quando a pessoa está aborrecida, e que todo o seu metabolismo normaliza-se logo que ela se sente interessada e satisfeita com seu trabalho. Resumindo a conclusão da pesquisa: o tédio gera a fadiga e o cansaço, enquanto o interesse pelo trabalho acende a satisfação.

Uma dos grandes desafios da área de RH é manter os profissionais motivados, para que possam desenvolver todas as suas aptidões pessoais e profissionais alinhadas aos objetivos das organizações. Sendo assim, combater o tédio, torna-se primordial para manter o nível de motivação elevado dentro de qualquer instituição.

Descobrir novas habilidades dos colaboradores – Muitos colaboradores têm talentos, que nunca foram descobertos e revelados no ambiente de trabalho, tais como: a música, o teatro, o dom de escrever e assim, por diante. Descobrir estes talentos e oportunizar espaços ligados à organização trará novo alento ao colaborador e um sentimento de prazer e valorização, sem igual. É perfeitamente possível transformar tediosas rotinas em atividades prazerosas, pela renovação constante da nossa mente.

Estágio

O estágio é um processo de aprendizagem indispensável a um profissional que deseja estar preparado para enfrentar os desafios de uma carreira. Está no estágio a oportunidade de assimilar a teoria e a prática, aprender as peculiaridades e “macetes” da profissão, conhecer a realidade do dia-a-dia, no que o acadêmico escolheu para exercer.

À medida que o acadêmico tem contato com as tarefas que o estágio lhe proporciona, começa então a assimilar tudo aquilo que tem aprendido e até mesmo aquilo que ainda vai aprender teoricamente.
Torna-se possível identificar deficiências e falhas, onde o estágio é o momento mais apropriado para extrair benefícios dos erros. Algumas precauções são necessárias ao estudante que está a procura do estágio.
Algumas empresas chegam a contratar estudantes como estagiários e colocá-los a exercer função de telemarketing, vendendo produtos ou serviços, ou até operadores de cobrança. A proposta do estágio é proporcionar ensino e capacitação profissional direcionada.

Outra dificuldade que o estagiário enfrenta é o valor da bolsa auxilio comparado ao valor da mensalidade do curso. Quando o estudante decide procurar um estágio tem que ter em mente que não deve procurar um salário, pois este não é o objetivo principal.
Uma vez conseguido um estágio, vencidas as dificuldades e tendo-se condições de estagiar, deve-se abraçar a oportunidade, como única, pois não faria sentido se não houvesse comprometimento, responsabilidade, determinação e expectativa quando a uma eventual efetivação. Também seria desperdício de tempo e energia, sofrer o desgaste do estágio somado ao desgaste do curso, se não houvesse interesse firme em aprender e preparar-se para a profissão.

Comunicação e cultura

Um dos grandes problemas que afligem as empresas em todo mundo é a maneira como as pessoas comunicam-se no ambiente de trabalho.
O chamado relacionamento interpessoal processa-se através de como as pessoas comunicam-se, o homem é aquilo que consegue comunicar ao seu semelhante, na sociedade onde vive; é um ser social por natureza, porém com capacidades comunicativas individuais.
Estudar e entender como a comunicação processa-se dentro uma empresa é uma solução estratégica para se chegar à raiz de alguns problemas que interferem no alcance dos objetivos traçados pela companhia.
A cultura organizacional de uma empresa é definida, em boa parte, pela cultura do ambiente onde a empresa está inserida. Dentro da empresa, é preciso identificar os grupos formais e informais e suas respectivas lideranças. Trabalhar essas pessoas é de fundamental importância para a disseminação de uma cultura organizacional favorável.
A criação de uma cultura organizacional favorável aos objetivos traçados pela organização começa pela delegação de responsabilidades e de autoridade às pessoas, que precisam se sentir como parte do processo. É importante considerar a abertura de canais de duas mãos entre líderes e subordinados, seja via escrita ou oral, conscientizando e engajando funcionários numa mesma diretriz empresarial.
É a comunicação a responsável por permitir o acompanhamento, a avaliação e o julgamento dos resultados de todos os processos desenvolvidos numa organização para que todos possam compartilhar do mesmo sentimento de missão e oferecer sua contribuição para o sucesso.
As informações que fluem continuamente pelo sistema de comunicação mantêm a organização em permanente sintonia com os clientes – internos e externos – e com ela mesma como um todo.
A existência de uma gestão organizacional mais flexível e menos centralizada implica reconhecer o comprometimento das pessoas e, ao mesmo tempo, respostas mais ágeis e claras ao ambiente com o objetivo de tornar a organização mais competitiva.
Trabalhar a comunicação de forma a interferir na cultura de uma empresa é muito mais que manter informados os funcionários das decisões da diretoria. É necessário que a organização apresente uma proposta transparente de intenções através de uma cultura organizacional que dissemine o que se espera dos colaboradores.

Comunicação interna entre as equipes

Certamente quando criança você juntou um grupo de amigos e fez a brincadeira do telefone sem fio.  A informação é passada de uma pessoa para outra, até chegar ao último participante que fala em alto e em bom tom o que escutou e entendeu. Sendo que durante o percurso da informação, sempre ocorrem mudanças, até mesmo a inclusão de fatos que em nada tem a ver com o que foi dito no início da brincadeira.

Isso acontece muito nas empresas, você anda pelos corredores escutando aquele murmurinho, ruídos e fofocas.  Se você não quer ver a sua empresa transformar-se em uma Torre de Babel,  abaixo seguem algumas sugestões da jornalista Patrícia Bispo.

1 - A comunicação interna tem um forte aliado: a liderança. Isso porque cabe ao gestor ser o agente disseminador das informações oficiais da empresa, evitando que rumores ou fofocas ganhem espaço.

2 - Para que a equipe mantenha-se informada sobre o que envolve assuntos relacionados à empresa e às suas atividades laborais, a realização de reuniões periódicas torna-se um recurso valioso.

3 - Ao promover os encontros com a equipe, o gestor deve preparar uma pauta para não se esquecer de abordar algum assunto relevante aos seus subordinados. Mesmo que tenha uma “mente de elefante”, em algum momento a liderança pode deixar de mencionar um fato importante e que não pode ser deixado para depois.

4 - Se no decorrer da semana, alguma informação importante deve ser repassada aos colaboradores, o gestor não deve esperar. É aconselhável que se faça uma reunião “extra”. Isso pode evitar, por exemplo, que um rumor sobre demissão em massa tome proporções que fertilizem a imaginação das pessoas e as deixem preocupadas.

5 - Lembre-se que comunicação pede um fluxo de informações. Ou seja, não é suficiente apenas repassar um dado, um acontecimento. É preciso abrir espaço para que os funcionários possam tirar dúvidas e apresentar sugestões. Afinal, eles fazem parte da organização e como tal, merecem o direito serem ouvidos.

6 - Durante a reunião com a equipe, é interessante que as informações mais relevantes sejam anotadas e, posteriormente, registradas. Essa “Ata” poderá ser distribuída no mural do departamento ou através do e-mail corporativo. Caso algum funcionário não tenha comparecido ao encontro, ele também ficará ciente do que foi mencionado, debatido ou analisado na sua ausência.

7 - Caso alguma questão seja apresentada por um colaborador e o gestor não tenha a resposta exata naquele momento, deve-se averiguar e dar um feedback não apenas a quem fez a pergunta, mas também aos demais profissionais.

8 - Mantenha-se disposto a dar mais informações aos membros de sua equipe. Algumas pessoas podem ficar inibidas para apresentar dúvidas, fazer questionamentos diante dos colegas.

9 - Se um membro da sua equipe procurá-lo para tirar alguma dúvida ou mesmo quiser conversar sobre alguma “novidade” que circula pelos corredores da empresa, não hesite em ouvi-lo. Mesmo que naquele momento a liderança esteja resolvendo algum assunto que não pode “esperar”, deve-se pedir ao colaborador que volte em algum outro horário. Mas, nunca se deve mostrar ar de desdém, pelo contrário. Pois se isso ocorrer, dificilmente aquela pessoa recorrerá novamente à sua liderança.

10 – Quando a organização oferece canais de comunicação formais como impressos, e-mail corporativo ou intranet, por exemplo, a liderança deve aproveitar esses recursos e estimular que os membros da sua equipe leiam o conteúdo divulgado. Essa é uma forma de disseminar informações com total credibilidade.

Dica

Se você quer se destacar no mercado de trabalho, ter grandes oportunidades, invista em um curso de comunicação!

Entradas Mais Antigas Anteriores

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.